Pastoral

Onde está teu irmão?

onde esta seu irmao“E disse o SENHOR a Caim: Onde está Abel, teu irmão? E ele disse: Não sei; sou eu guardador do meu irmão”?

Há centenas de anos, o Senhor Deus perguntou a Caim: “Onde está o teu irmão?”. Mais tarde, as palavras podiam ser repetidas aos filhos de Jacó. O Senhor podia ter perguntado a Simeão, Rubem e Judá: “Onde está o vosso irmão José?” Ao longo da Bíblia, o Senhor podia ter perguntado a muita gente pelos seus irmãos. Por exemplo, Ele podia ter feito essa pergunta aos sete filhos de Jessé “onde está o vosso irmão Davi?”. Certamente, a resposta seria sempre a mesma: “Não sei. Será que eu sou o guarda do meu irmão?”.

O Senhor, hoje, ainda continua a fazer essa pergunta a cada um de nós: “Onde está o teu irmão?” Só que nós também respondemos: “Não sei. Será que eu sou o guarda do meu irmão?”. O texto base retrata um encontro de Caim com Deus, logo após o assassinato de Abel. “E disse o SENHOR a Caim: Onde está Abel, teu irmão? E ele disse: Não sei; sou eu guardador do meu irmão?” Ao ler esse texto, destaca-se a expressão “meu irmão”. É como uma cobrança de algo que parece não fazermos mais: Será que temos falhado com algum irmão? Será temos nos preocupado ou até mesmo nos esquecido de alguns deles? Com alguns somos mais chegados e nos importamos mais, já outros nos parecem ser indiferentes.

Mas nessa vertente, o “meu irmão” diz respeito àqueles que frequentam o mesmo lugar de culto que eu frequento, ou até mesmo da congregação; ou seja, estão mais perto. Onde está o novo convertido de Domingo passado? Aqueles a quem um dia falamos de Cristo e ele veio até o nosso local de reunião e resolveram entregar suas vidas a Cristo. Às vezes, insistimos tanto em que a pessoa se converta e de imediato nos damos satisfeitos pelo seu “sim” como resposta e logo os largamos sem acompanhar, sem integrá-los ao corpo à igreja. Simplesmente nos esquecemos dele, ou transferimos a responsabilidade para o Pastor.

Onde está o teu irmão? Quando Deus perguntou a Caim: Onde está o teu irmão, o espírito de Caim diz: não tenho responsabilidade de saber onde ele está. Diferente do que o espírito de José diz: “Procuro meus irmãos” (Gn 37.16). Faça como gostaria que fizessem com você. É a regra áurea (Mt 7.12). Irmãos que estavam conosco e que já não estão mais, que abandonaram a fé, ou que esfriaram na fé, ou que foram tragados pelo pecado e que já não congregam mais conosco.

Será que Cristo não os ama mais? É ele mesmo que nos ensina a amar até o inimigo, pois amar quem ama a gente é fácil. Ele diz que isso até os gentios fazem. (Lc 5.43-48).

Em diversas ocasiões em que Jesus operou milagres vemos que Ele foi movido por íntima compaixão. A compaixão pelos perdidos, a compaixão pelas multidões; Ele via mais que os nossos olhos carnais.

O olhar de Jesus é diferente e nos convida a olhar com olhos espirituais. Ou será que o sacrifício dele na cruz também não foi também por essas pessoas? Quantos de nós já nos movemos ao menos para orar por essas vidas? Quantos de nós já nos movemos ao menos para ir até essas pessoas e dizer: Arrependa-se, volte... Jesus te ama; eu também!

Pr. Vagner Vaelatti

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to Twitter

Templo I - Rua Monteiro Soares Filho, 652
Vila Zelina

Templo II - Rua Marechal Malet, 611
Parque Vila Prudente

Horário de atendimento: segunda a sexta das 8h às 17h
contato: (11) 2347-9141